Invenção da Memória, 2007

A construção onde se encontra hoje o Museu de Arte de Joinville foi, originalmente, a residência da família Doerffel, casa que abrigou seus sonhos e ilusões. Agora abriga os de todos os artistas que lá expõem suas poéticas.

Partindo desse entendimento, o Grupo “Diferentemente Iguais”, mergulhou na aventura de criar um projeto que retrate esse museu/casa, criando memórias prováveis, imaginadas, até formar um corpo de trabalhos que reproduzissem lembranças irreais e poéticas, que poderiam ter habitado esta casa.

Esses atos poéticos, traduzidos por trabalhos, pretendem escrever uma narrativa permeada de lembranças possíveis que nada têm a ver com a verdade histórica da casa. No entanto, têm relação com a atual ocupação do imóvel como Museu de Arte.

Essa afirmação pode ser conferida pelo trabalho de Cassia Aresta, que evoca paredes impregnadas de lembranças vividas; pela “arquitetura da casa vazia”, de Vera Pamplona; pelo canto de imagens instantâneas de Sônia Müller; pela visão plasmada da energia dos antigos moradores, de Juliana Hoffmann; pelo olhar da mulher através da janela, de Rosa Grizzo e pelas passagens oníricas, de Helenita Peruzzo. Este grupo pretende viver a experiência de criar nessa casa uma memória em sua total virtualidade. Uma existência real, possível, mas fruto de uma recriação artística. Uma “Invenção da Memória.

Invenção da Memória são fragmentos de um tempo imaginário, meditação de sobrevivência para nossa própria existência através do isolamento em uma civilização de excessos, são pequenos detalhes, instantâneos comentando a fragilidade da existência, recuperação impossível daquilo que ficou faltando: lembranças de sentimentos, sensações e desejos reduzidos a pó, desimpregnados de um espaço da história. Trecho do texto de Walter de Queiroz Guerreiro

Exposição: Museu de Arte de Joinville, Joinville, SC.

Artistas: Cássia Aresta, Vera Pamplona, Sônia Müller, Juliana Hoffmann, Rosa Grizzo, Helenita Peruzzo