Uma série de desenhos a nanquim que produzi na adolescência e juventude. Os desenhos retratam o interior da ilha, uma ilha rural com campos, cercas de arame farpado, postes de tronco de árvores, estradas de chão batido, e casas no estilo Açoriano nas colinas. Trabalhos inspirados em vários artistas, mas principalmente Meyer Filho, o qual as exposições eu visitava desde criança com meus pais.

Quando eu nasci, morávamos em um apartamento no centro da cidade. O espaço era muito pequeno para comportar quatro crianças – eu e minhas irmãs –, pai, mãe, uma ajudante e, às vezes, a avó. A agitação era enorme, quase um estresse para toda a família. Por isso, nos finais de semana, íamos para o sítio, no Rio Tavares, para nos aproximarmos da natureza, relaxar e curtir a vida ao ar livre. E quando começo a desenhar na adolescência O Sítio e a viagem até ele, passando pelo interior da ilha naquela época bem mais preservado, servem de inspiração para os meus Desenhos dos anos 80.

“....enquanto aqui no campo reinava uma tranquilidade uniforme, nos pensamentos, nas palavras, nos olhos, em tudo, de maneira que ela ouvia a si mesma incansavelmente, com a mesma inexorável precisão com que se ouve o tique-taque de um relógio numa noite em claro.” Jens Peter Jacobsen 

 

"Mais do que nos dar paz, esses magistrais desenhos impactam porque trazem à tona as ruínas contemporâneas e por tudo o que já foi perdido.” Néri Pedroso